Notícias

Confira as últimas notícias do setor:

11 de Dezembro de 2019

A Colômbia sediou a Primeira Reunião do Grupo Permanente de Peritos sobre PSA para as Américas

Evento é organizado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO)

Com o objetivo de compartilhar estratégias para a prevenção da Peste Suína Africana (PSA),  uma doença que não existe no continente, foi realizada em Bogotá a primeira reunião do Grupo Permanente de Peritos sobre a Peste Suína Africana  para as Américas.

A reunião recebeu representantes dos Serviços Veterinários e Aduaneiros do Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, Guatemala, Jamaica e Estados Unidos da América, além das organizações internacionais FAO, IICA, OIRSA, CAN e CVP.

Alguns dos pontos de maior coincidência entre os países, comparados à estratégia de prevenção de PSA, foram inspeção de bagagem, uso da brigada de cães, comunicação de risco através de folhetos, pôsteres e mensagens nas telas do aeroportos e as informações fornecidas pelas companhias aéreas aos viajantes.

A gerente geral da ACI, Deyanira Barrero León, socializou com os assistentes as atividades de prevenção, os desafios e as oportunidades que a Colômbia tem para se manter livre da PSA.

“Nossa estratégia é baseada em regulamentos, controle de fronteiras, controle de mobilização com postos de controle estabelecidos, vigilância, sessões de educomunicação e fortalecimento interinstitucional como o CIIIP, com quem pelo menos Em um ano, obtivemos ótimos resultados que nos permitiram reduzir o contrabando de produtos agrícolas e sua entrada ilegal no país”, afirmou o funcionário.

Por sua vez, o major Víctor Guerra, do Centro Integrado ACI, Invima, Polfa / Dian, CIIIP, fez sua apresentação na mesma direção, divulgando a importância do trabalho interinstitucional e as realizações realizadas com este programa.

“A troca de experiências e a comunicação de riscos foram fundamentais para alcançar os cidadãos e nossa própria equipe. Como resultado desse conhecimento, há cada vez mais gangues criminosas que desmontamos e os produtos agrícolas que apreendemos em nossas áreas de fronteira por meio de nossos postos de controle, conseguindo salvaguardar a saúde de nossa produção nacional ”, afirmou o prefeito.

Durante o dia, o professor Christopher Oura, especialista em PSA, fez uma exposição sobre a caracterização e epidemiologia da doença, as formas de dispersão, estratégias de defesa para evitar a entrada em um país e como detectar os sintomas em animais. . Da mesma forma, os efeitos que isso causou em outros países e sua expansão na Europa, Ásia e África.

Durante o evento, os países participantes apresentaram as estratégias de trabalho conjunto entre os serviços oficiais de saúde animal e alfandegários, a fim de impedir a entrada do PSA.

Marcelo Cepeda, veterinário do Grupo Nacional de Quarentena de Animais da ACI, também socializou o trabalho que a Colômbia realiza além de suas fronteiras: “Atualmente, estamos implementando a comunicação de riscos de portos, aeroportos e passagens de fronteira com material informativo. Da mesma forma, temos controle sobre o lixo de vôos internacionais. Temos um plano de contingência para desenvolver ações de controle e erradicação em caso de apresentar a doença, realizamos uma série de testes de diagnóstico para descartar a presença da doença ”.

Durante esta primeira reunião do grupo permanente de especialistas em PSA, as seguintes recomendações foram acordadas:
- Articulação do setor público e privado dos diferentes países. 
- Compartilhe experiências existentes em outros países. 
- Fortalecer as ações de prevenção nas fronteiras aéreas, marítimas e terrestres. 
- Fortalecimento diagnóstico em diferentes países. 
- Fortalecimento do discurso para comunicação de risco. 
Sensibilização para países que não são membros para que eles também saibam sobre essa ameaça e possam tomar ações para prevenir a doença.
O Dr. Luis Barco, Representante Regional da OIE para a América, encerrou este dia afirmando que: “A Peste Suína Africana, PPA, é uma doença altamente transmissível que causa a morte de porcos, é por isso que isso é tão importante. Reunião do grupo de especialistas. O trabalho que vem de agora em diante, das regiões é muito importante para nos manter livres da doença. ”

Ele também disse que: “existe o risco de introduzir a doença na região e a prevenção é essencial para manter todos os países das Américas livres da doença. Estamos trabalhando de maneira coordenada, reforçando as medidas de controle de fronteiras com o objetivo de impedir a entrada do PSA na região. ”

A próxima reunião será realizada nos dias 16 e 17 de abril de 2020, onde serão analisados ??os riscos potenciais da introdução da doença. Da mesma forma, no mês de fevereiro de 2020, será organizada uma conferência virtual com países como Brasil, Chile, Colômbia, Canadá e OIRSA para trabalhar com antecedência nessa experiência.

Como autoridade sanitária da Colômbia, a ACI continuará trabalhando de maneira articulada com diferentes entidades da ordem nacional, para proteger as fronteiras marítimas, terrestres e aéreas de doenças catastróficas, como a Peste Suína Africana, PSA.

Redação SI

G&S Agro Informática © 2013 - Todos os direitos reservados
Acesso Restrito | Download TeamViewer
Desenvolvido por: Lovatel Agência Digital